CRISTIANÍSMO: A Religião da Palavra

CRISTIANÍSMO:  A Religião da Palavra

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus”

João 1.1 (ARC)

A base da fé cristão está na palavra escrita e canonizada, ou como conhecemos do popular,  na Bíblia. O que cremos, e por sua vez praticamos, tem que ser de diretriz bíblica, ou pelo menos é isso que dizemos ser. Mas, como já falou alguém “na prática a teoria e outra“, pois afirmamos desde que surgimos como igreja, especificamente como protestante ou oriunda delas, que é o caso das igrejas OBPC, está deixando de lado as verdades bíblicas para praticarmos outras coisas que não tem absolutamente nada de bíblico e, como disse o Apóstolo Paulo em sua carta à igreja da Galácia, trata-se de “outro evangelho” (Gl. 1.8). No dia-a-dia estamos tão preocupados com os desafios para continuarmos sobrevivendo, que se renovam permanentemente, e acabamos imitando algumas pessoas ou grupos que dizem ter uma revelação especial de Deus, sem antes analisarmos e questionarmos sua veracidade à luz da Bíblia – Palavra. Acabamos agindo como papagaio de pirata. Então classifico o que temos hoje nas igrejas brasileiras como: A Síndrome do Papagaio de Pirata.

Certo dia, em um dos seus empreendimentos criminosos o pirata Tutuba, com suas longas barbas ressecadas pelo sol, sua perna direita de pau, usando seu tapa-olho preto de couro, ao atracar sua grande caravela em uma ilha, à procura de um lugar seguro para esconder os preciosos objetos que tinha roubado em suas atividades ilegais de salteador dos mares, deparou-se com uma espécie de ave que o deixou encantado com a beleza e som por ela emitidos, então ordenou que seus homens a capturassem e levassem para a embarcação. Para surpresa do capitão Tutuba aquela ave resistindo as longas viagens se familiarizou com a tripulação e emitia sons diferentes das outras aves. A ave, nada boba, percebeu que quando ela imitava os sons daquele capitão ele ficava tão contente que chamava os ladros para ver o “fenômeno” e davam-lhe o que comer. Aquele papagaio concluiu que repetir o que falava o pirata Tutuba, ainda que não entendesse nada, resultava em platéia e fartura.

Quando nos apartamos do Verbo (lógos – no grego) para vivermos uma fé “autônoma” sem a revelação da Palavra – Verbo incorremos em erros danosos, não apenas para nós, mas também para a posteridade, que dará muito trabalho para aqueles que quiserem servi a Deus com sinceridade. Se pensarmos em uma igreja que termina em nós talvez estejamos fazendo o certo, mas se estivermos querendo que essa igreja prossiga sua missão, assim como começou com os crentes primitivos, expandindo baseados nos valores e revelações ensinadas pelo Verbo de Deus que se fez carne, Jesus Cristo, a verdadeira Palavra, devemos ter como prioridade, em nossas igrejas o ensinar a Palavra. Como pode alguém ensinar se não aprender? Ou, como aprenderão o certo, se não houver quem ensine? E os que sabem, como ensinarão se não houver quem queira aprender o certo?

Com objetivo de responder essas questões é que existe o I.B.B.C – INSTITUTO BÍBLICO O BRASIL PARA CRISTO. Na última Assembléia do Conselho Nacional o IBBC foi reconhecido como o órgão oficial de ensino teológico das Igrejas O Brasil para Cristo em todo território nacional. Ele tem como razão da sua existência manter a igreja de Cristo dentro dos ensinamentos da Palavra – Verbo, para que ela não apenas cresça, mas também se fortaleça nas verdades de seu Deus, Senhor e Salvador.

Se você reconhece que precisa aprender com a Palavra de Deus, o IBBC quer ser um instrumento para seu conhecimento; se você conhece e quer ensinar o IBBC deseja ter você no seu quadro de docentes. Como vocês podem perceber o IBBC é o nosso seminário, é a nossa escola de teologia, e por isso está comprometido com a nossa obra, seus pensamentos e valores.

Vamos dar um basto para Síndrome de Papagaio de Pirata, somos uma igreja séria e temos compromisso com a Palavra de Deus, com nosso passado e com as futuras gerações. As síndromes passam e mudam, mas, as verdades de Jesus Cristo – O Verbo – A Palavra, permanece para sempre e com Ele o seu povo.

Que Deus nos capacite para cumprirmos seu propósito na formação de obreiros para sua seara.

PR. JOSÉ HÉLIO DE LIMA

Coordenador Nacional do IBBC